Posts

Hangar Equipamentos: Referência nacional em segurança na construção civil

Hangar Equipamentos: Referência nacional em segurança na construção civil

Fonte: Russel Serviços

Em 2018, o Brasil ocupava o quarto lugar entre os países que mais acontecem acidentes de trabalho no mundo, ficando atrás apenas da China, Índia e Indonésia.

A estimativa é que a cada 48 segundos aconteça um acidente no Brasil.

Mesmo sendo o quarto setor econômico do país, é na construção civil que grande parte deles acontecem.

Uma boa parte desses acidentes poderia ser evitado se os equipamentos usados durante as obras fossem de qualidade e cumprissem com as exigências de segurança.

A Hangar Equipamentos é uma empresa reconhecida nacionalmente por seus balancins estarem classificados entre os mais seguros do país.

Nesse post falaremos sobre a preocupação da nossa empresa no cumprimento da NR 18, o que leva segurança, conquista a confiança e eleva a qualidade aos clientes tornando a Hangar Equipamentos uma referência nacional.

27 anos de tradição

Sendo a construção civil uma das grandes causadoras de acidentes de trabalho, a Hangar Equipamentos tem como objetivo contribuir de forma significativa para baixar esse índice nacional.

Há 27 anos a empresa iniciou suas atividades na cidade de Joinville, norte do estado catarinense, fabricando e comercializando produtos e acessórios para a construção civil.

Hoje a empresa é especializada e referência nacional pela fabricação de balancins altamente seguros.

Esses equipamentos podem ser comercializados e alugados, tanto os balancins mecânicos, elétricos e até mesmo o portátil.

Para garantir segurança aos usuários, a Hangar Equipamentos tem como preocupação e norma seguir rigorosamente as exigências da NR 18.

Sobre a NR 18

Pode-se dizer que a NR 18 (norma regulamentadora) é a mais importante para o setor da construção civil e se constitui em um grande objeto de proteção e segurança aos trabalhadores do setor.

A NR 18 proíbe a entrada ou a permanência de um funcionário na obra caso ela não cumpra as exigências estabelecidas.

Ela é dividida em 27 tópicos que orienta e determina desde o treinamento adequado aos funcionários, como o uso de sinalização de segurança e proteção de modo geral.

Uma das exigências da NR 18 é em relação aos andaimes, ou os chamados balancins usados pelos empregados na construção civil.

Sobre os balancins

Hangar Equipamentos: Referência nacional em segurança na construção civil

Fonte: Hangar Equipamentos

Esses equipamentos são grandes responsáveis pelo alto número de acidentes que ocorrem nos canteiros de obra.

Eles precisam garantir a segurança do funcionário tanto na locomoção (no ato do acionamento) até o local desejado, bem como enquanto estiver parado para o desempenho da função.

De acordo com a NR 18, eles só podem ser dimensionados por profissionais que estejam legalmente habilitados, uma vez que deve-se considerar a carga suportada.

A Hangar Equipamentos tornou-se referência nacional no cumprimento da NR 18 em relação à fabricação de seus balancins, seus equipamentos são sinônimos de segurança e estão entre os melhores do país.

Os balancins da Hangar Equipamentos são os melhores do mercado, uma vez que possuem 90 centímetros de largura interna, frente rebaixada e um inédito sistema de contra balanço, exclusividade no mercado nacional.

Apesar de serem construídos com material leve, são reconhecidos oficialmente como os mais resistentes do mercado em função de testes realizados em laboratórios. Os resultados homologam e atestam esses produtos com o selo de qualidade.

Além de todas essas vantagens, a Hangar Equipamentos é referência quando o assunto é entrega imediata. Os diferenciais no atendimento combinam agilidade e competência.

Também na área de manutenção, quando necessária, os serviços são realizados em até 24 horas, quando um profissional capacitado é deslocado para atendimento, equipado com peças de substituição para resolver o problema.

Hangar Equipamentos: Além da tradição

Há vinte e sete anos, a Hangar Equipamentos busca fabricar e comercializar o que há de melhor para o ramo da construção civil.

Além de ser especializada em fabricar balancins altamente seguros para comercialização e locação, a empresa também disponibiliza outros produtos com a mesma qualidade.

A Hangar Equipamentos se preocupa também em oferecer condições de pagamentos para que todos tenham acesso aos seus produtos e serviços.

Hoje, além de manter a tradição de ser uma empresa que fabrica produtos que cumprem rigorosamente as exigências legais, também contribui de forma consciente e responsável para a segurança das pessoas e ajuda o Brasil a diminuir o índice de acidentes no trabalho.

O fato de contribuir na redução desse índice faz com que a empresa, cada dia mais, se empenhe em oferecer novas e modernas tecnologias para garantir mais segurança contribuindo para a construção de um Brasil melhor.

Agora que você conheceu um pouco mais sobre a Hangar Equipamentos, que tal acessar a sua página e conferir os produtos e serviços?

Fontes:
Folha de São Paulo
Ministério Público do Trabalho
Hangar Equipamentos

Hangar Equipamentos: Referência nacional em segurança na construção civil

A Hangar Equipamentos fabrica, comercializa e aluga balancim mecânico, elétrico, de canto e portátil, todos seguindo a NR 18.

Além desses equipamentos a empresa também disponibiliza:

  • Ancoragem Extensor;
  • Ancoragem para viga 13 metros;
  • Ancoragem Gancho;
  • Guincho de Cabo Passante;
  • Cocho Para Massa;
  • Motor Modelo HES.

Conheça neste link todas as informações de contato da Hangar Equipamentos, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Argasens: a melhor solução para a Construção Civil

Argasens: a melhor solução para a Construção Civil

Fonte: Argasens

Todos sabem que construir e reformar exige dedicação, atenção e muito trabalho.

São diversos detalhes que acabam ocorrendo durante o projeto e se não forem planejados previamente e detalhadamente, incomodam, prejudicam e podem até mesmo atrasar o bom andamento da obra.

O uso da argamassa é um desses detalhes fundamentais para o sucesso.

Ela é uma matéria-prima indispensável, tanto no levantamento das paredes, como na fase de acabamento, é a responsável pela resistência, resiliência e durabilidade do imóvel e seus ambientes.

Mas, quando o assunto é obra, você não precisa se preocupar em procurar o melhor fornecedor.

Nesse post vamos apresentar uma das mais experientes e tradicionais empresas especializadas em argamassas da região da Grande Florianópolis.

Continue lendo nosso post e conheça a Argasens!

O surgimento da Argasens

A experiência do proprietário da Argasens vem sendo conquistada desde 1993, quando ainda era sócio de outra empresa, também voltada ao fornecimento de argamassa.

Foi em 1998 que surgiu a Argasens que hoje é a mais antiga empresa do segmento em atividade.

A empresa familiar trabalhou muito para chegar a atual situação de reconhecimento no mercado.

Para isso, a empresa sempre primou pelo compromisso com seus clientes, pois, entende que a construção civil exige qualidade e agilidade nos seus processos, bem como transparência no atendimento.

Muito mais do que oferecer produtos, o diferencial da empresa se dá no auxílio aos clientes que é diferenciado e genuíno, colaborando e participando ativamente das melhores soluções para seus consumidores.

A Argasens entende que existem particularidades em cada obra e que todas elas precisam ser respeitadas e atendidas, afinal, não é todo dia que se constrói uma casa ou um prédio comercial.

Argasens: a melhor solução para a Construção Civil

Fonte: Pixabay

Política de qualidade

O clima familiar e de companheirismo, aliado à visão de qualidade e à experiência do mercado, são fatores que colocam a Argasens como destaque no segmento da construção civil da região metropolitana de Florianópolis.

Uma política de qualidade desenvolvida por seus executivos, traz em sua missão o seguinte lema:

“Fornecer aos clientes produtos de qualidade com confiabilidade e bom atendimento em nossos serviços.”.

Além disso, objetivos fundamentais fazem parte do cotidiano da Argasens em sua política de qualidade, são eles:

  • Melhorar continuamente os processos, produtos e serviços;
  • Buscar a satisfação dos clientes;
  • Aumentar a produtividade;
  • Eliminar o desperdício.

Pautado nesses itens, a Argasens promove o desenvolvimento com sustentabilidade, amparado na qualidade e tecnologia, sempre buscando o melhor em relação ao mercado e às soluções que oferece.

Produtos oferecidos ao mercado

Especializada em argamassa, a Argasens oferece uma diversificada linha que atende as necessidades dos mais variados projetos na área da construção civil, tais como:

  • Argamassa fina;
  • Argamassa média;
  • Argamassa média fina;
  • Argamassa grossa;
  • Argamassa assentamento;
  • Britas;
  • Areias.

Argasens: a melhor solução para a Construção Civil

Fonte: Freepik

Vantagens em usar as argamassas da Argasens

A garantia da qualidade com precisão de entrega e a tranquilidade de quem constrói, fazem parte da visão de toda equipe da Argasens.

Por isso, escolher pela empresa é ter certeza de qualidade, comprometimento e sucesso na obra.

Além disso, destacamos algumas vantagens que podem ser percebidas na aquisição de qualquer um dos produtos da Argasens:

  • Mão-de-obra reduzida pela facilidade de manutenção dos produtos;
  • Menor custo em relação aos concorrentes;
  • Atendimento eficiente e entrega com rapidez;
  • Eliminação de desperdícios e estocagem de materiais;
  • Economia de cimento;
  • A argamassa tem maior qualidade, pois é produzida com cal virgem em pedra;
  • Cal e areia peneirados;
  • Controle de misturas e granulometria;
  • Produto com garantia de qualidade.

Quando for construir, não esqueça de consultar quem mais entende de argamassa na região e conte com a experiência e tradição, a Argasens fica à disposição para eventuais dúvidas!

Fonte:
Argasens – Argamassa para Reboco e Assentamento

Argasens: a melhor solução para a Construção Civil

Localizada estrategicamente em três endereços na Grande Florianópolis e atendendo em toda a região continental, bem como no norte e sul da Ilha, a Argasens chega rapidamente em qualquer localidade para realizar suas entregas.

Uma frota de veículos modernos e equipe capacitada facilita as operações e agiliza os processos, atendendo as mais exigentes necessidades.

A marca Argasens é, sem dúvida, sinônimo de competência, qualidade e trabalho.

Conheça neste link todas as informações de contato da Argasens, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas – Flexfer

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Segurança, resistência e durabilidade são fatores que precisam ser observados em relação a todo tipo de material e ferramenta que serão utilizados quando o assunto é construção civil.

E quando se trata de ferragem para a obra, esses mesmos fatores precisam ser levados em conta.

A ferragem armada pode ser desenvolvida sob encomenda, o que vai facilitar o trabalho, uma vez que dispensa cortes e dobras no canteiro de obra.

 

Maior segurança para os trabalhadores


Falando em cortes, poucas pessoas param para pensar no assunto, mas o fato de precisar cortar a ferragem no local da obra traz riscos para a saúde do profissional.

Assim, cortes, dobras e manuseio de ferro no local da obra produz ruídos altíssimos, gera poeira e deixa o trabalhador vulnerável à lesões de todos os tipos.

Além do que haverá a necessidade de providenciar os equipamentos necessários tanto para o corte como para a dobra, o que com certeza é indício de um investimento desnecessário se a opção for ferragem armada.

Sem contar que ao cortar as ferragens, sempre se corre o risco das diferenças no tamanho dos cortes, não havendo uma padronização entre eles. As ferragens armadas já vêm todas cortadas por igual, assim você não terá nenhum desperdício.

E o mais importante: além de cortadas, elas vêm dobradas e soldadas dentro das especificações exigidas pelos órgãos competentes.

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

A FLEXFER atua no mercado da construção Civil desde 2005, atendendo todo o país, é uma empresa especializada na fabricação de estribos, blocos, vigas, colunas e, principalmente, em armações para estacas de fundação.

A empresa também produz os estribos contínuos e individuais que são fornecidos de acordo com o projeto ou pedido do cliente. Os estribos são embalados e etiquetados especificando a medida, bitola do aço e quantidade de peças, dessa forma você consegue organizar melhor seu canteiro de obra, identificar e evitar a oxidação do produto.  

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

A FLEXFER também fornece vigas, colunas e sapatas armadas que também são fornecidas de acordo com a necessidade do cliente reduzindo ainda mais tempo e desperdício de material.

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

 

As armaduras para estaca de fundação são produzidas em equipamento automatizado de solda, dando mais rigidez e qualidade para a armadura facilitando o manuseio e a introdução das mesmas no concreto.

São produzidas de acordo com o projeto ou especificações do cliente e atendem todo o tipo de perfuração, seja estaca raiz ou hélice contínua.

 

Economize e melhore o padrão com as Ferragens Armadas - Flexfer

Fonte: FLEXFER

Conheça neste link todas as informações de contato da FLEXFER, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

A nova Lei que trata do trabalho no âmbito do Sistema Prisional e os impactos no setor da Construção Civil – Robert Advocacia

ebgesc

No último dia 25 de julho foi publicado o Decreto nº 9.450/2018, que institui a Política Nacional de Trabalho no âmbito do Sistema Prisional – Pnat. Um dos objetivos do Decreto é permitir a inserção das pessoas privadas de liberdade e egressas do sistema prisional no mundo do trabalho e na geração de renda. O programa será implementado pela União em regime de cooperação com Estados, Distrito Federal e Municípios, sendo que, para a execução da política, poderão ser firmados convênios ou instrumentos de cooperação técnica da União com o Poder Judiciário, Ministério Público, organismos internacionais, federações sindicais, sindicatos, organizações da sociedade civil e outras entidades e empresas privadas.

Apesar de instituir a Pnat, o decreto traz somente diretrizes básicas que devem ser observadas pelos entes no que se refere ao trabalho dos apenados, contudo, não traz uma efetiva regulamentação para as empresas privadas que já adotavam essa prática de contratação. No entanto, para as empresas que participam de licitações para prestação de serviços à Administração Pública, como as de construção civil, por exemplo, a lei trouxe a obrigatoriedade de contratação de um número mínimo de apenados.

A utilização de mão de obra de presos, principalmente pelo setor de construção civil, não é novidade no Brasil. A prática já era prevista na Lei nº 7.210/1984 – Lei de Execução Penal (LEP). A LEP previa a possibilidade do exercício de trabalho por presos em regime fechado somente em serviço ou obras públicas realizadas por órgãos da Administração Direta ou Indireta, ou entidades privadas, desde que tomadas as cautelas contra a fuga e em favor da disciplina. O limite máximo do número de presos nesses casos não podia ultrapassar 10% do total de empregados na obra.

Além da LEP, a Lei nº 8.666/1993, que tratava do procedimento para as licitações e contratos, também previa a possibilidade de a Administração Pública exigir nos editais de licitação a obrigatoriedade da empresa contratada contar com um percentual mínimo de sua mão de obra composta por egressos do sistema prisional, com a finalidade de ressocialização do reeducando, na forma estabelecida em regulamento.   

Com o novo Decreto, as empresas que participarem de licitações públicas, inclusive as de engenharia, deverão contar com percentual de apenados em seu quadro de funcionários, bem como observar algumas obrigações que devem ser cumpridas para a manutenção do contrato.

Abaixo esclarecemos as principais dúvidas que podem surgir a respeito da nova lei:

 

  • Posso contratar qualquer preso?

R – A Política Nacional de Trabalho no âmbito do Sistema Prisional será destinada aos presos provisórios, aos apenados em cumprimento de pena no regime fechado, semiaberto e aberto e às pessoas egressas do sistema prisional.

 

  • O que é egresso?

R – A LEP considera como egresso do sistema prisional o liberado definitivo, pelo prazo de um ano a contar da saída do estabelecimento; e o liberado condicional, durante o período de prova.

 

  • A obrigatoriedade de contratação de mão de obra formada por pessoas presas se aplica a todos os contratos?

R – A lei determina que os órgãos e entidades da administração pública federal direta, autárquica e fundacional deverão exigir da contratada o emprego de mão de obra formada por pessoas presas ou egressos do sistema prisional na contratação de serviços, inclusive os de engenharia, com valor anual acima de R$ 330 mil.

 

  • Essa obrigatoriedade deve estar prevista no edital de licitação?

R – Sim, como requisito de habilitação jurídica, deve estar previsto no edital obrigatoriedade de apresentação de declaração do licitante de que, caso seja vencedor, contratará pessoas presas ou egressos, acompanhada de declaração emitida pelo órgão responsável pela execução penal de que dispõe de pessoas presas aptas à execução de trabalho externo. Também deve estar previsto no edital e na minuta de contrato, como obrigação da contratada de empregar como mão de obra pessoas presas ou egressos do sistema prisional.

 

  • Qual o número de mínimo de presos que a empresa deve contratar para a execução do serviço?

R – De acordo com o Decreto, a empresa vencedora da licitação deverá contratar, para cada contrato que firmar, pessoas presas nas seguintes proporções:

I –3% das vagas, quando a execução do contrato demandar 200, ou menos, funcionários;

II –4% das vagas, quando a execução do contrato demandar 201 a 500 funcionários;

III – 5% das vagas, quando a execução do contrato demandar 501 a mil funcionários; ou

IV –6% das vagas, quando a execução do contrato demandar mais de mil empregados.

 

  • Como fica esta cota em caso de demissão do funcionário preso?

R – A contratada deverá apresentar mensalmente ao juiz da execução, com cópia para o fiscal do contrato ou para o responsável indicado pela contratante, a relação nominal dos empregados, ou outro documento que comprove o cumprimento da cota mínima. Em caso de demissão do apenado, a contratada deverá proceder sua comunicação ao fiscal do contrato ou responsável indicado pela contratante em até 5 dias, devendo providenciar a substituição do demitido por outro apenado no prazo de 60 dias.

 

  • Quais os deveres da Administração Pública com relação aos apenados?

R – Na fiscalização da execução do contrato, cabe à administração pública informar à contratada e oficiar à vara de execuções penais sobre qualquer incidente ou prática de infração por parte dos empregados, para que adotem as providências cabíveis à luz da legislação penal; e aplicar as penalidades à contratada quando verificada infração a qualquer regra prevista no Decreto.

 

  • Quais as obrigações da empresa contratada com relação aos apenados?

R Providenciar aos apenados o transporte; alimentação; uniforme idêntico ao utilizado pelos demais terceirizados; equipamentos de proteção, caso a atividade exija; inscrição do preso em regime semiaberto, na qualidade de segurado facultativo, e o pagamento da respectiva contribuição ao Regime Geral de Previdência Social; e a remuneração.

 

  • Quais as penalidades em caso de descumprimento da cota pela contratada?

R – A prorrogação de contratos de prestação de serviços com fornecimento de mão de obra no âmbito da administração pública federal, apenas poderá ser realizada mediante comprovação de manutenção da contratação do número de pessoas egressas do sistema prisional. O desrespeito da cota pela empresa contratada durante o período de execução do serviço acarreta quebra de cláusula contratual e possibilita a rescisão por iniciativa da administração pública, além de aplicação de outras sanções previstas na lei de licitações.

 

ebgescPor Sueli Ribeiro, advogada inscrita na Ordem dos Advogados do Brasil sob o nº 48.347, seccional de Santa Catarina, pós-graduanda em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho, sócia do escritório Robert Advocacia e Consultoria.

 

 

 

 

ebgesc

Robert Advocacia e Consultoria

Rua Dr. Marinho Lobo, 512, Sala 12, Centro, Joinville/SC

(47) 3026-4226 – www.robertadvocacia.com.br

Ilhafer: História do Aço na Construção Civil e suas Vantagens!

Desde o século XVIII, quando se iniciou a utilização de estruturas metálicas na construção civil até os dias atuais, o aço tem possibilitado aos arquitetos, engenheiros e construtores, soluções eficientes e seguras. Das primeiras obras aos edifícios ultramodernos que se multiplicaram pelas grandes cidades, a arquitetura em aço sempre esteve associada à ideia de modernidade, inovação e vanguarda. No entanto, as vantagens na utilização de sistemas construtivos em aço vão muito além da linguagem estética.

ebgesc

Imagem: Freepik

Vantagens do uso do aço na construção civil

A redução do tempo de construção, a racionalização no uso de materiais e mão de obra e o aumento da produtividade passaram a ser fatores chave para o sucesso de qualquer empreendimento na construção civil. Veja abaixo as principais vantagens no uso do aço:

Mais liberdade no projeto de arquitetura – A tecnologia do aço confere aos arquitetos uma grande liberdade criativa, permitindo a elaboração de projetos arrojados e de expressão arquitetônica marcante.

Flexibilidade – A estrutura metálica mostra-se especialmente indicada nos casos onde há necessidade de adaptações, ampliações, reformas e mudança de ocupação de edifícios.

Maior área útil – As seções dos pilares e vigas de aço são substancialmente mais esbeltas do que as equivalentes em concreto, resultando em um melhor aproveitamento do espaço interno e aumento da área útil, fator muito importante, principalmente em garagens.

Compatibilidade com outros materiais – O sistema construtivo em aço é perfeitamente compatível com qualquer tipo de material de fechamento, tanto vertical como horizontal, permitindo desde os mais convencionais até componentes pré-fabricados.

Menor prazo de execução – A fabricação da estrutura em paralelo com a execução das fundações, a possibilidade de se trabalhar em diversas frentes de serviços simultaneamente, a diminuição de formas e escoramentos e o fato da montagem da estrutura não ser afetada pela ocorrência de chuvas, pode levar a uma redução de até 40% no tempo de execução quando comparado com os processos convencionais.

Racionalização de materiais e mão-de-obra – Numa obra, através de processos convencionais, o desperdício de materiais pode chegar a 25% em peso. A estrutura metálica possibilita a adoção de sistemas industrializados, fazendo com que o desperdício seja sensivelmente reduzido.

Alívio de carga nas fundações – Por serem mais leves, as estruturas metálicas podem reduzir em até 30% o custo das fundações.

Garantia de qualidade – A fabricação de uma estrutura metálica ocorre dentro de uma indústria e conta com mão-de-obra altamente qualificada, o que dá ao cliente a garantia de uma obra com qualidade superior devido ao rígido controle existente durante todo o processo industrial.

Organização do canteiro de obras – Como a estrutura metálica é totalmente pré-fabricada, há uma melhor organização do canteiro devido entre outros à ausência de grandes depósitos de areia, brita, cimento, madeiras e ferragens, reduzindo também o inevitável desperdício desses materiais.

Preservação do meio ambiente – O aço é 100% reciclável e as estruturas podem ser desmontadas e reaproveitadas. Além disso, o uso da estrutura metálica reduz o consumo de madeira na obra, diminui a emissão de material particulado e poluição sonora geradas pelas serras e outros equipamentos destinados a trabalhar a madeira.

Precisão construtiva – Enquanto nas estruturas de concreto a precisão é medida em centímetros, numa estrutura metálica a unidade empregada é o milímetro. Isso garante uma estrutura perfeitamente aprumada e nivelada, facilitando atividades como o assentamento de esquadrias, instalação de elevadores, bem como redução no custo dos materiais de revestimento.

O uso do aço na construção civil brasileira

Mesmo com todas as vantagens que citamos, o aço ainda encontra alguma resistência por parte de arquitetos e engenheiros do Brasil, o uso de estruturas metálicas na construção não alcançou aqui o mesmo nível de projeção que conquistou em outros países. Nos Estados Unidos, os primeiros edifícios com estruturas em aço começaram a ser construídos a partir de 1870, em grandes cidades como Chicago, Nova York, Detroit e St. Louis. No Brasil, o primeiro prédio de andares múltiplos, com estrutura metálica, só foi erguido 84 anos depois, com a construção do Edifício Garagem América, em São Paulo, em 1954.

Até a década de 80, o uso de estruturas metálicas era pouco conhecido. Na área da construção residencial, o assunto nem era cogitado por arquitetos e engenheiros, e muito menos pelos proprietários. Fatores histórico-culturais decorrentes da falta de produtos siderúrgicos adequados àquela época, colaboraram com essa realidade.

Atualmente, o aço vem ganhando algum espaço e a associação de perfis de aço e concreto estrutural vem como uma solução viável. E o que se espera é que a multiplicação do emprego desses materiais construtivos possa promover uma transição saudável entre a construção convencional e processos mais modernos.

Grandes construções em aço

Separamos para vocês algumas construções em aço que se destacam em todo o mundo, tanto por sua beleza quanto pela sua complexidade. Confira a seguir:

Centre Pompidou

ebgesc

Imagem: Wikipédia

Museu Reina Sofia

ebgesc

Imagem: Wikipédia

Sapporo Dome

ebgesc

Imagem: Wikipédia

Edifício Taipei 101

ebgesc

Imagem: Pixabay

Viaduto Millau

ebgesc

Imagem: Pixabay

Ópera de arame

ebgesc

Imagem: Wikipédia

Estação Waterloo

ebgesc

Imagem: Geograph.uk

Todas essas obras magníficas nos fazem ver que é possível erguer prédios belíssimos utilizando a estética do aço e todas as suas vantagens. Portanto, conte com a Ilhafer para transformar seu projeto em realidade, eles terão um grande prazer em atendê-lo.

ebgesc

Ilhafer – A solidez da construção de seu sonho

Desde 2003, a Ilhafer está no mercado com toda a força empreendedora. A empresa dispõe de matéria pura e bruta como: barras de ferro de todas as bitolas, arames e pregos com os melhores preços e ainda, oferece ao cliente os serviços de estribos prontos, corte e dobra de ferro, malha pop para pisos e lajes.

A Ilhafer agora oferece também algumas novidade: Colunas, Vigas, Sapatas, Estacas Helicoidal Armadas (soldadas), tudo conforme a necessidade estrutural da sua obra, com a maior vantagem de custo benefício, sem perda de material e com a melhor mão-de-obra de pessoal treinado e o maquinário apropriado, garantindo maior economia, praticidade e agilidade. Todos os produtos da empresa acompanham certificado de qualidade e estão dentro das normas da ABNT para a total segurança de seus clientes.

Aqui neste LINK você encontra as informações de contato e a localização da Ilhafer, nossa empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.


Fontes:
Portal Metalica
Grandes Construções
CIMM

Matéria escrita por:
Felipe Nascimento

Direito de Vizinhança x Limitações à Construção de Janelas

O Direito de vizinhança é um conjunto de orientações e regras elaboradas no intuito de regulamentar a convivência em sociedade, restando abarcado de maneira expressa pelo  código civil, leis específicas municipais, estaduais, e em casos de condomínios, também por seus regulamentos internos e convenções condominiais.

Quem nunca passou por algum momento conflitante com seu vizinho? É bastante comum ocorrer quando se trata de pessoas que moram próximas umas das outras. Tudo isso porque o que pode trazer satisfação para um dos moradores, pode se tornar restrição ou até mesmo violação do direito de outro, e o direito de vizinhança veio para apaziguar tais conflitos.

Dentre as inúmeras orientações trazidas pelo direito de vizinhança, visando à boa convivência e buscando preservar o direito de todos, falaremos neste artigo sobre a proibição de abrir janelas, fazer terraço, eirado ou varanda, a menos de um metro e meio do prédio de outrem.

Pois bem, o artigo 1.301 e seguintes do Código Civil apresenta a  regulamentação sobre o tema, onde limita a construção dentro da sua própria propriedade com fito de preservar o direito do vizinho. A lei estabelece também, que ainda que a janela não faça visão direta com o terreno do vizinho, deve-se respeitar por sua vez a distância mínima de 75 centímetros de distância entre os terrenos.

Diante disto, podemos vislumbrar como exemplo, caso muito frequente ocorrido entre vizinhos, “E quanto a abertura de janelas ou demais construções que permitam a ventilação ou entrada de luz?” O parágrafo 2º do artigo 1.301 do mesmo diploma legal dispõe que, nesses casos em específico é permitido a aberturas para luz e ventilação, no entanto, devem respeitar o limite de não ultrapassar 10 centímetros de largura sobre 20 centímetros de cumprimento, bem como, serem construídas a mais de 2 metro de altura de cada piso.

Em se tratando de irregularidades na obra, a lei dispõe em seu 1.302 que no lapso de ano e dia da construção da obra, poderá o vizinho ao identificar uma irregularidade, exigir o desfazimento de janelas, varandas, eirados e goteira sobre o seu prédio, porém, se escoado o prazo, esse não poderá construir sem atendimento ao disposto no artigo antecedente, ou seja, respeitando os limites legais, tão pouco poderá impedir ou dificultar o escoamento das águas da goteira, de forma a prejudicar o vizinho.

Neste momento, pode surgir a seguinte dúvida: “ – Perdi o prazo de um ano e um dia para reclamar meu direito, ficarei no prejuízo?” A resposta é negativa! O Código Civil também cuidou dessa situação, escoado o prazo de ano e dia para exigir que se desfaça a construção, diante de uma irregularidade ou reclamar prejuízos decorrentes dessa irregularidade, o vizinho prejudicado terá o prazo de três anos para reclamar seu direito, porém, faz-se necessário dizer que a demanda teria neste caso, o intuito de reparação de danos decorrentes da irregularidade e não de reverter à obra já conclusa.

E por fim, tratando-se de uma obra com irregularidades, construída há anos, o parágrafo 2º do artigo 1.302, diz que é defeso a todo tempo, se tratando de vãos, aberturas de janelas para luz ou ventilação, qual seja a quantidade, altura e disposição, o levantamento de um contramuro ou edificação, ainda que vede a claridade do vizinho.

Com destaque ao artigo 1277, § único do Código Civil, segundo o qual o proprietário ou possuidor tem direito de fazer cessar as interferências prejudiciais a sua saúde, sossego e segurança, requisitos necessários a serem observados antes do ingresso de uma ação contra o vizinho, ou seja, se ação do seu vizinho não fere sua saúde, sossego e segurança, tem-se que não faz jus a uma demanda judicial.

 

FRANCIÉLE ANTUNES

  • Estagiária de Direito;
  • Estudante de Direito do 5 ano da Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE;
  • Cursa Elaboração de Contratos – pela Educa Cursos – Porto Alegre/RS;
  • Cursa atualização direito processual civil – Faculdade Damásio – Joinville/SC

Bauma Engenharia: 6 tendências da construção civil em 2018

O ano de 2018 chegou e trouxe com ele muitas expectativas. Alguns especialistas já fizeram suas projeções e destacaram algumas tendências da construção civil. Coletamos informações de alguns desses especialistas e trouxemos para você. Confira a seguir.

Imagem: Freepik

 

Segundo o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP),  indústria de construção deve crescer 2% em 2018, amparado em uma possível redução dos estoques de imóveis e distratos e nas obras de infraestrutura e das unidades contratadas dentro do Minha Casa Minha Vida.

Essa estimativa também leva em conta a tendência de ampliação do crédito imobiliário por agentes financeiros, tendo em vista aspectos macroeconômicos favoráveis, como inflação baixa e queda no juro real. A entidade pondera, contudo, que o cenário traçado para 2018 está sujeito às incertezas políticas e ao quadro fiscal preocupante no país.

 

Além dessa breve análise, como prometido, trouxemos também 6 tendências da construção civil em 2018:

 

1. Aumento da presença feminina na construção civil

 Cada vez as mulheres vêm ganhando mais espaço neste setor, sobretudo nos últimos 10 anos. Sua presença na construção ainda é bem inferior quando comparada à presença masculina, porém os números tendem a aumentar, tanto na mão de obra quanto nos cargos gerenciais. Segundo o Ministério do Trabalho e Emprego, entre 2007 e 2009 a contratação de mulheres na construção civil deu um salto de 44,5%. Atualmente, estima-se que mais de 200 mil mulheres trabalhem na área, de maneira formal ou autônoma.

  1. Projetos colaborativos

Outra forte tendência da Construção Civil para este ano é o aumento do uso de métodos colaborativos no canteiro, como o BIM (Building Information Modeling). Ele nada mais é que um sistema de modelagem de projetos. No BIM, toda a equipe pode visualizar e atualizar o projeto construído em um modelo 3D, possibilitando o gerenciamento das informações antes, durante e após o término da operação.

Imagem: Freepik

 

  1. Construção enxuta (lean construction)

A construção enxuta (ou lean construction) consiste no corte de demandas que não agregam valor à construção e no amparo constante do trabalho na obra, executando cada etapa no momento certo. Por exemplo, a produção, o transporte de materiais e as ferramentas a serem compradas no tempo exato em que se fazem necessários.

  1. Construção modular

Apesar de não ser uma novidade, crê-se que a utilização deste método de construção vá  aumentar em 2018. Pois a qualidade, o tempo e as preocupações trabalhistas tornam essa alternativa mais atrativa do que os métodos tradicionais de construção.

Sempre há uma preocupação em enxugar o cronograma de execução de um projeto e economizar os custos. E a construção modular ou pré-fabricada tem a capacidade de fazer isso. Além disso, se você utilizar produtos pré-fabricados, como a argamassa estabilizada, pode ser mais fácil manter o controle de qualidade e lidar com questões como mão de obra, área para fabricação e imprevistos causados pelo clima.

  1. A Internet das Coisas

Famosa no meio digital, a Internet das Coisas (Internet of Things), quando aplicada à Construção Civil, busca para reduzir os custos e melhorar a eficiência continua, colaborando com a já citada Lean Construction.

Muitos profissionais estão se voltando para as opções de IoT para melhorar as operações no canteiro de obra. Pois com este recurso faz-se possível o rastreamento de equipamentos e funcionários, tecnologias vestíveis, através do uso de drones e outras fontes de informações. Isso pode garantir que os trabalhadores estejam protegidos contra acidentes ou, pelo menos, conscientes dos perigos do local de trabalho. Outro exemplo é o uso de sensores nos equipamentos para monitorar se a maquinaria precisa ser reparada.

  1. As realidades virtual e aumentada

 A realidade virtual pode ajudar, e muito, os profissionais da construção civil. Isso porque essa tecnologia é capaz de realizar empreendimentos em modelos 3D. Essas tecnologias também podem melhorar a colaboração entre as partes interessadas do projeto antes mesmo do início da construção, permitindo que a equipe preveja futuros problemas e possa resolvê-los antes mesmo de iniciar o projeto.

Imagem: Pixabay

 

Bauma Engenharia: Sua obra nas mãos de quem entende

 A Bauma Engenharia se apresenta como alternativa do mercado para a elaboração de projetos e gerenciamento de obras de Construção Civil e empreendimentos imobiliários. Sua experiência global dos processos técnicos e burocráticos da construção, permitem fornecer um serviço de grande valia aos proprietários e empreendedores.

Com uma experiência de 30 anos e 300.000 m2 de trabalhos realizados, a equipe da Bauma está habilitada a lhe oferecer um serviço confiável, dentro da modernidade dos processos produtivos terceirizados e especializados.

Construir com gerenciamento Bauma é ter como parceira uma empresa com experiência e capacidade operacional de solucionar sua necessidade global de um processo construtivo, dos seus projetos à sua conclusão e legalização.

 

Aqui neste link você encontra as informações de contato e a localização da Bauma Engenharia, nossa empresa parceira, registrada no CREA-SC.

 

Fontes:
G1

Buildin

Essor Seguros

 

Matéria escrita por:

Felipe Nascimento

Tamborville: Um breve relato sobre a história da Engenharia Civil e o importante papel do Andaime

Quando pensamos em Engenharia Civil, geralmente lembramos de obras que fazem parte do nosso dia-a-dia, como casas, pontes, edifícios e viadutos. Porém, este segmento da engenharia já foi responsável pela realização de obras magníficas, como o Taj Mahal, o Empire State Building e, milênios atrás, as grandes Pirâmides do Egito.

Em todas essas obras históricas, um personagem muito importante (e pouco lembrado) estava presente, sustentando os trabalhadores e todas as suas ferramentas. Este tal personagem é o Andaime. Continue lendo e viaje conosco pela história da engenharia civil e descubra como ele se tornou uma peça fundamental nesta narrativa.

Imagem: Pixabay

Primeiramente, vamos falar um pouco mais sobre este personagem:

O andaime é uma estrutura montada, de caráter provisório, para sustentar os trabalhadores durante a execução de serviços em locais de grande altura, com a utilização de ferramentas e equipamentos, facilitando a construção ou o reparo da obra. Para que esteja apto ao uso, os andaimes devem passar por todos os testes de Inspeção de qualidade. Desde o momento em que os tubos de aço chegam para o corte, passando pela pintura reveladora, até a pintura final do produto.

 

As primeiras aparições do andaime nos primórdios da Engenharia Civil

Pode-se dizer que a engenharia civil tenha se originado entre 4000 e 2000 a.C., no Egito, quando os meios de transporte ganharam uma grande importância, o que levou ao desenvolvimento da roda. Na mesma época, de acordo com os historiadores, as grandes pirâmides foram construídas e essas obras monumentais podem ser consideradas como as primeiras grandes estruturas da história.

Imagem: Pixabay

Os egípcios usavam rampas de madeira e andaimes para construir as pirâmides. Segundo o historiador Heródoto, a primeira pirâmide foi construída em degraus, como uma escada. As pedras que foram utilizadas na construção das pirâmides foram levantadas por meio de um pequeno andaime de madeira. Desta forma, elas foram erguidas da terra para o primeiro “degrau da escada”; lá elas foram colocadas em outro andaime, com o qual foram levantadas para o segundo degrau, e assim por diante. O acabamento foi iniciado na direção inversa, do topo até o nível mais baixo.

Os Romanos desenvolveram estruturas extensas em seu império, incluindo aquedutos, pontes e barragens. Na Grécia, temos o Parthenon e muitas grandes obras importantes para a cultura local (e mundial). Todas essas obras têm um fator comum: o andaime de madeira.

 

Imagem: Pixabay

Enquanto isso, na China, onde foi realizada uma das maiores obras da Engenharia, em torno de 200 a.C., o andaime de bambu tem sido usado há mais de 5.000 anos. Embora leve, o bambu é suficientemente forte para suportar o peso dos trabalhadores e dos seus equipamentos. Graças ao seu peso e durabilidade, nenhuma máquina é necessária para montar o andaime e colocá-lo no lugar. Apesar de os andaimes de metal serem comuns atualmente no país, os andaimes de bambu ainda são amplamente utilizados em algumas regiões.

 

A transição da madeira para o metal

Na Europa, a transição dos andaimes de madeira para os de metal, aconteceu no início do século XX. Em 1906 Daniel Palmer-Jones e seu irmão David Henry-Jones fundaram uma empresa especializada na fabricação de andaimes. Em 1919, eles introduziram o scaffixer – um conjunto de fixações que servia para segurar pedaços de madeira ou de metal, de uma maneira mais segura do que as tradicionais fixações com corda. Eles receberam a oportunidade de trabalhar na reconstrução do Palácio de Buckingham em 1913, o que garantiu o sucesso da sua invenção.

Imagem: Royal Collection

A evolução da fabricação e montagem de andaimes garantiu uma maior eficiência nos canteiros de obras, mas, mesmo assim, a utilização de andaimes ainda deve ser acompanhada de perto pelo engenheiro responsável pela obra, pois é necessário ter cautela, tanto na montagem como na sua utilização por parte dos trabalhadores.

 

Diferentes tipos de andaimes

Andaime Independente – É composto por mais de duas fileiras de tubos metálicos verticais, conectados por peças modulares ou engates rápidos de conexão.

Andaime Tubular – Esse tipo de andaime é indicado para diversos tipos de obras e canteiros. As ponteiras dos painéis são trefiladas no próprio tubo, sem soldas, garantindo maior resistência, durabilidade e segurança.

Andaime Fachadeiro – Ele permite a circulação dos trabalhadores em vários níveis, com livre acesso à área de trabalho. É usado em pintura e revestimento de fachadas, também em obras de reformas, manutenção predial e industrial.

Andaime Multidirecional – Possui encaixe e acoplagem rápido e automático. Seu sistema é constituído por uma pinça com chaveta rápida autobasculante, que se encaixa numa peça de engate, travando o sistema.

Andaime Suspenso Motorizado – Esse equipamento é usado para serviços de reparo, pintura, limpeza e manutenção e outras atividades na indústria da construção civíl. É constituído por uma plataforma que possui ganchos instalados em cada cabeceira, realizando a movimentação através de cabos de aço.

Andaime Tubo Equipado – É composto por tubos de aço galvanizado e acessórios que fazem as conexões, possibilitando a montagem multidirecional das estruturas especiais. Seu uso pode ser visto em plataformas de trabalho, passarelas, escoramentos, escadas, palcos e projetos diversos.

Gostou de conhecer um pouco mais sobre a relação milenar entre o andaime e a engenharia civil? Então vamos lhe apresentar uma empresa que oferece a locação, a fabricação, a manutenção e a comercialização de andaimes e de outros diversos produtos para a construção civil, a Tamborville.

 

Tamborville – Equipamentos para Construção Civil

A Tamborville é uma empresa de reconhecida experiência na locação, fabricação, manutenção e comercialização de equipamentos e produtos para construção civil. Eles também atendem aos fabricantes de equipamentos, fornecendo peças e soluções para projetos especiais.

Com mais de 15 anos de experiência, estão sempre atentos às exigências do mercado, investindo constantemente na inovação e na diversificação, a fim de oferecer os melhores e mais modernos produtos. Com um atendimento personalizado, focado nas necessidades de seus clientes, a Tamborville possui uma central de vendas localizada na cidade de Joinville(SC), que atende ao Brasil inteiro.

Todos os produtos comercializados são fabricados com materiais resistentes, de acordo com as normas técnicas do segmento (NR18, NR35 e ABNT), o que permite oferecer uma garantia de 1 a 2 anos, com certificação, rastreabilidade e laudo de qualidade nos aços fornecidos. Entre seus fornecedores, há nomes como: Marcegaglia do Brasil, Tupper/SA e Gerdau.

Ela oferece a manutenção e montagem de equipamentos, jateamento, pintura, corte, dobra, solda (MIG/MAG) e corte a laser. Seus equipamentos são de fácil utilização e instalação, evitando desta forma desperdícios de material e mão de obra na execução dos serviços.

 

A Tamborville é uma das empresas pioneiras do Catálogo Empresarial CREA-SC. Acesse AQUI!

 

 

Fontes:

Blog Engenharia Verde / Metalica.com.br / Blog Mundo dos andaimes

O PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO NA INCORPORAÇÃO IMOBILIÁRIA

Dra. Carolina Pavão da Silva | OAB/SC: 35.851

Dra. Carolina Pavão da Silva  OAB/SC: 35.851

Criado no afã de resgatar a credibilidade e confiabilidade das construtoras e incorporadoras do país, o Patrimônio de Afetação surgira após sucessivos fracassos no mercado imobiliário, dentre eles, o mais emblemático, a falência da construtora ENCOL em 1999, por via do rechaçado “efeito bicicleta”, onde, incorporadoras desviavam recursos de um novo empreendimento para a conclusão de empreendimentos anteriores, comprometendo os recursos investidos especificamente para as novas obras.

Sendo assim, o Patrimônio de Afetação foi introduzido no Direito Brasileiro pela primeira vez através da medida provisória de n. 2.221/01, sendo convertida posteriormente na Lei 10.931/04, estando ao alcance das construtoras e incorporadoras que estejam em plena regularidade com a Lei. 4951-64 a qual regula a atividade da incorporação.

O propósito fundamental do P.A. insta na contabilidade apartada de cada empreendimento, não permitindo a comunicação dos recursos da Obra “A”, com a “B”, “C ou “D”, mas, exclusivamente na obra vinculada a conta bancária respectiva para recebimento dos recursos. Nestes moldes, o patrimônio de Afetação instituído para o erigir de uma edificação específica, garantirá que esta dispenda valores e responda por obrigações concernentes à ela, inexistindo a possibilidade do desvio de verba para outro fim.

Para a constituição do patrimônio de afetação não há nenhum mistério ou qualquer espécie de dificuldade, podendo ser instituído à qualquer tempo pelo incorporador, através de requisição deste perante o cartório de Registro de imóveis respectivo, (Art. 31-A) mediante termo firmado pelo incorporador responsável pelo empreendimento.

Lamentavelmente, em que pese à segurança apresentada aos adquirentes, sua adesão à garantia é facultativa, ficando ao alvedrio do incorporador adotar ou não o advento da afetação, que, além do benefício trazido aos consumidores, destaca aos incorporadores vantagens de ordem tributária, vez que oportuniza aplicação do regime especial de tributação (RET) em caráter opcional.

O regime especial tributário mencionado acima, é inerente aos empreendimentos que estejam abarcados pelo P.A, sendo incorporado à contabilidade por intermédio de  cadastro próprio, (ante o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas), com número de inscrição próprio e código de arrecadação específico (“109. Inscrição de Incorporação imobiliária – Patrimônio de Afetação)”

Destarte, desde a criação da Lei em comento, houveram diversas alterações no que se refere aos percentuais do RET, tornando-a cada vez mais benéfica aos incorporadores. Ao ser publicada, a lei iniciara com seus 7% sob as receitas mensais auferidas (incluindo multas e juros), passando aos 6% e chegando ao patamar atual de 4%, o que demonstra ser o melhor sistema a ser utilizado aos imóveis comprados na planta, tanto para o consumidor, quanto ao próprio incorporador que usufruirá da benesse tributária.

Ainda cumpre destacar que para construtoras e incorporadoras que atuam no âmbito do MCMV (Minha Casa Minha Vida), o percentual de alíquota chega à redução de 1%.

Diante de tamanha importância, faz-se necessária a divulgação e orientação aos consumidores que busquem incorporadoras que utilizem o Patrimônio de Afetação. Da mesma forma, cabe aos construtores e incorporadores o estímulo de consultarem advogados e contadores sobre os benefícios tributários e mesmo de marketing disponíveis à empresa por força do instituto.

Sua empresa já está aproveitando os benefícios do RET?

O escritório Pavão & Associados – Advocacia e Consultoria Imobiliária possui os melhores profissionais da área da Construção Civil, Incorporação, Engenharia civil e Direito Imobiliário para orientações empresariais, contratuais, trabalhistas e tributárias. Venha nos conhecer!

Rua Max Colin, n. 1917, Ed. Prime Offices, salas 18 e 20.

Bairro América – Joinville/SC

(47) 3202-6483

 

Matéria por: Dra. Carolina Pavão da Silva | OAB/SC: 35.851

PROSUL: EXPERIÊNCIA PARA DESENVOLVER, QUALIDADE E INOVAÇÃO PARA PROJETAR O FUTURO

Fundada em 1987 pelo engenheiro Wilfredo Brillinger, a PROSUL, uma empresa com foco em serviços especializados de engenharia consultiva, oferece aos seus clientes ampla experiência em projetos, gerenciamento e planejamento de obras de grande porte.
Sediada em Florianópolis/SC e com escritórios regionais em Brasília/DF e Vitória/ES, a PROSUL está entre as maiores empresas no ranking da engenharia brasileira.
Atuante nos setores público e privado, a empresa contempla em seu portfólio mais de 2000 projetos e estudos de rodovias, elevados, aeroportos, portos, estruturas ferroviárias, redes de distribuição de gás natural, saneamento, energia (racionalização, geração, transmissão e distribuição), universidades, penitenciárias, plantas industriais, captação de recursos financeiros e estudos ambientais. E possui aproximadamente 200 gerenciamentos, supervisõese fiscalizações de obras de infraestrutura.
Apoiada por uma Equipe de Gerenciamento de Projetos (EGP) e um Sistema de Gestão (ERP), dispõe de todo conhecimento para a excelência na produção e atendimento comercial. Desde 2001, possui a certificação ISO 9001:2008, o que evidencia seu compromisso com a qualidade.
A PROSUL agrega ao know-how de sua equipe uma política e cultura corporativa direcionadas para a Responsabilidade Social Empresarial, somando aos projetos o respeito à vida e ao meio ambiente.

 

TRANSPORTES

  • Projetos de Infraestrutura Rodoviária / Viária
  • Projetos de Infraestrutura Ferroviária
  • Projetos de Infraetrutura Aeroportuária
  • Projetos de Infraestrutura Hidroviária
  • Projetos de Infraestrutura Portuária
  • Projetos de Infraestrutura Urbana
  • Gerenciamento, Supervisão e Fiscalização de Obras de Infraestrutura

  

  

 

MEIO AMBIENTE, RECURSOS HÍDRICOS E SANEAMENTO

  • Acompanhamento Institucional de Licenciamentos Ambientais
  • Estudos e Relatórios de Impacto Ambiental (EIA / RIMA / EAS / RAS / RCA)
  • Plano Básico Ambiental (PBA / PCA / PAC)
  • Análise de Risco e Plano de Contingência
  • Gestão Ambiental de Obras e Execução de Programas Ambientais
  • Restauração de Áreas Degradadas
  • Implantação e Manejo de Unidades de Conservação
  • Educação Ambiental e Comunicação Social
  • Projeto de Tratamento de Resíduos Sólidos, Líquidos e Gasosos
  • Plano de Gestão de Resíduos Sólidos

   

    

    

 

ENERGIA

  • Engenharia do Proprietário
  • Inventário Hidroenergético
  • Estudo e Avaliação de Alternativas Locacionais e Tecnológicas para Barragens, Subestações e Linhas de Transmissão
  • Estudos, Projetos e Definição de Traçado de Linhas de Transmissão e Distribuição
  • Projeto de Subestação
  • Projeto de Pequenas Centrais Hidrelétricas – PCHs e Usinas Hidrelétricas
  • Repotenciação de Usinas
  • Gerenciamento, Supervisão e Fiscalização de Obras de Energia
  • Projeto de Iluminação Pública
  • Estudo e Projeto de Eficiência Energética

  

 

GÁS

  • Projeto, Fiscalização, Construção, Montagem, Ensaios e Comissionamento de Redes de Distribuição de Gás Natural
    Gerenciamento, Supervisão e Fiscalização de Obras de Gasodutos

   

 

CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Projeto Acústico e Cênico
  • Projeto Arquitetônico
  • Projeto Estrutural de Concreto e Estrutural Metálico
  • Projeto de Instalação Elétrica e Automação
  • Projeto de Instalação Hidrossanitária
  • Projeto Preventivo Contra Incêndio
  • Projeto de Climatização
  • Projeto de Circuito Interno de TV
  • Projeto Telefônico / Lógica
  • Projeto de Paisagismo e Urbanismo
  • Projeto de Sonorização
  • Supervisão, Gerenciamento e Fiscalização de Obras Civis

        

 

CAPTAÇÃO DE RECURSOS

  • Apoio Técnico para Obtenção de Financiamentos Nacionais e Internacionais – Fonplata, BID, BIRD, CAF e BNDES

 

UTILITIES
Prestação de serviços para companhias de distribuição de energia, água, gás e comunicação.
  • LIES – Leitura Informatizada e entrega simultânea de fatura
  • Recadastramento
  • Instalação e substituição de medidoras
  • Inspeção e regularização de fraudes
  • Regularização de fornecimento
  • Vistorias para novas ligações
  • Negociação de débitos com clientes
  • Implantação de sistemas de Smart Metering
  • Gestão de Smart Metering
  • Execução e projeto de eficiência energética

  

 

“Trabalhamos sintonizados na responsabilidade social empresarial para planejar, projetar e supervisionar cenários sustentáveis e oferecer serviços condizentes com a expectativa dos nossos clientes e da sociedade”.

Wilfredo Brillinger – Presidente

 

Confira a PROSUL no Portal de Negócios  CREA-SC!