Posts

Lei de combate a incêndio: saiba como adequar seu estabelecimento

Leia nosso post e saiba como adequar seu estabelecimento para atender às regras estabelecidas na lei de combate a incêndio.

Fonte: Cubo Guia

Em 2017, o Governo Federal sancionou a Lei 13.425 estabelecendo novas normas em relação à prevenção e combate de incêndio em lugares públicos, industriais e comerciais.

A legislação ficou conhecida como Lei Kiss e abrange, em geral, todos os estabelecimentos destinados à reunião de público.

A partir da sua aprovação, é responsabilidade, por parte do Corpo de Bombeiros Militar de cada estado, a análise das medidas de prevenção.

Por outro lado, fica a cargo dos municípios fiscalizarem o cumprimento das mesmas.

Quanto ao empreendimento, compete a cada administração adequar seus imóveis e fazer cumprir as exigências previstas.

Se você tem dúvidas a esse respeito, continue lendo nosso post e saiba como adequar o seu estabelecimento para estar em cumprimento com a nova Lei de combate a incêndio.

Sobre a nova Lei

A Lei 13.425 foi sancionada em março de 2017 e recebeu o nome de Lei Kiss, por ter sido aprovada quatro anos após o trágico incêndio ocorrido na Boate Kiss, situada na cidade de Santa Maria/RS.

Na época, 242 pessoas morreram e mais de 500 ficaram feridas.

A legislação veio para estabelecer normas mais rigorosas objetivando a prevenção e o combate de incêndios em áreas de reunião de pessoas, quer seja para lazer, trabalho, estudo, etc.

A Lei é obrigatória e igual em todo o território nacional e entrou em vigor 180 dias após a sua aprovação, ou seja, desde setembro de 2017, todos os estabelecimentos precisam cumprir com as novas exigências ao combate contra o incêndio.

O que é preciso para cumprir a legislação?

Fonte: OFOS Engenharia

Conforme falado, compete ao Corpo de Bombeiros de cada estado, analisar, vistoriar, orientar, aprovar e fiscalizar as medidas de prevenção e combate ao incêndio em estabelecimentos já construídos, nas novas edificações e, até mesmo, em áreas abertas que recebam pessoas.

Uma das exigências legais é o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio, o PPCI.

Somente por meio dele, o proprietário do imóvel terá acesso ao Alvará de Prevenção e Proteção contra Incêndio, liberando-o para o funcionamento das atividades, quer seja, comercial, residencial, indústria, comércio, etc.

É como se fosse o projeto de segurança do local. Vale lembrar que esse plano deve ser elaborado por um profissional capacitado e habilitado.

Isso porque ele precisa atender todas as normas exigidas e será submetido à aprovação, ou não, do Corpo de Bombeiros.

Deve-se contemplar em um PPCI:

  • Saídas de emergência suficientes para retirada das pessoas em caso de sinistro;
  • Sinalização das saídas de emergências
  • Sinais fotoluminescentes para orientação no escuro;
  • Lâmpadas de emergência;
  • Placas de sinalizações;
  • Detectores automáticos de fumaça;
  • Portas contra golfo;
  • Sprinklers;
  • Hidrantes;

A partir do funcionamento, o estabelecimento deve seguir uma manutenção preventiva de rotina para continuação das atividades e renovação do alvará, o tempo para isso é determinado pelo Corpo de Bombeiros.

Outro ponto importante é que sempre há necessidade de ter pessoas treinadas no local para usar e orientar o uso dos equipamentos de forma correta, em caso de incêndio.

Quem precisa se adequar?

A legislação determina que todo estabelecimento que receba mais de cem pessoas precisa se adequar à Lei, como escolas, cinemas, shoppings, hospitais, indústrias em geral, condomínios residenciais e comerciais, restaurantes, etc.

Estabelecimentos que recebam público infantil, idoso ou com deficiência, mesmo sendo em número menor, também precisam se adequar.

Para os edifícios já construídos é preciso contratar um engenheiro ou um arquiteto para adequar a edificação às novas exigências.

Já nas novas, essas especificações já devem estar inclusas no projeto da obra.

Lembrando que, embora se trata de uma Lei Federal, o Corpo de Bombeiros pode adaptá-la para a necessidade específica de cada região e exigir do poder público municipal a observância e o cumprimento da mesma.

A importância do extintor de incêndio

Fonte: Fogo Zero

Ao falar de extintor, muita gente pensa no seu uso em incêndios de grandes proporções, mas, ele é de fundamental importância para evitar esses acidentes.

Existem 5 classes de incêndios (A, B, C, D e K) e os extintores são compostos com conteúdos específicos para cada uma delas.

Eles, geralmente, são de água (H₂O), gás carbônico (CO₂), de pó químico A/B/C, e espuma mecânica.

Mas, há algum tempo existe no mercado de extintores, um produto inovador, denominado Fogo Zero.

Trata-se de um extintor, 100% natural e sem componentes nocivos ao ser humano ou meio ambiente;

Ele é altamente eficaz para combater incêndios A, B, D, K, podendo também ser usado no C.

Pode ser utilizado para prevenção e extinção de princípios de incêndio em escritórios, embarcações, empresas, residências, automóveis e muitos outros lugares onde se faça necessário o uso rápido de um extintor prático e de ação eficiente.

Agora que você ficou sabendo sobre a legislação vigente de combate a incêndio e deseja adequar o seu estabelecimento, procure a Comercial WG Extintores, empresa especializada em soluções eficazes para garantir a segurança da sua empresa.

Entre em contato com a empresa e conheça todas as soluções voltadas ao combate ao incêndio, inclusive, o Fogo Zero.

Fontes:

Corpo de Bombeiros de Santa Catarina;

Planalto do Governo;

G1.

 

A Comercial WG Extintores está situada na cidade de Balneário Camboriú e está no mercado há mais de 30 anos, levando qualidade e experiência em soluções eficazes e de grandeza para o combate a incêndio.

A empresa desenvolve treinamentos técnicos, formação de brigada, bem como a venda de produtos, execução de obras de prevenção de incêndio e análise de projetos.

São mais de 30 anos em que a Comercial WG Extintores garante produtos e serviços que levam a satisfação ao cliente e geram a segurança do estabelecimento.

A empresa oferece:

  • Elaboração e execução de projeto preventivo;
  • Consultoria técnica;
  • Extintores de Incêndio – vendas e manutenção;
  • Iluminação de Emergência;
  • Sistema de alarme contra incêndio;
  • Sistema de para raio;
  • Sistema de hidráulico preventivo ( hidrantes e mangueiras);
  • Manutenção em sistemas preventivos;
  • Laudos de mensuração e tração;
  • Formação e Treinamento Brigada de Incêndio.

Além disso, a empresa distribui com exclusividade para o estado de Santa Catarina o extintor Fogo Zero.

Conheça nesse link todas as informações de contato da Comercial WG Extintores, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

 

Matéria escrita por: Marlete Lopes.

A importância do Sistema Preventivo Contra Incêndio – PPS

A importância do Sistema Preventivo Contra Incêndio - PPS

Fonte: Revista Exame / Abril

Em muitos estabelecimentos comerciais, os sistemas preventivos contra incêndio estão defasados ou ainda estão expostos apenas para cumprir uma determinação legal.

Os noticiários apresentam catástrofes envolvendo vidas, onde incêndios ocorreram por displicência dos responsáveis e pela inexistência de sistemas de prevenção.

A falta de cuidado com a manutenção dos sistemas elétricos e de gás, bem como a inexistência de equipamentos para combate ao fogo, são os vilões dessas tristes histórias.

Visando minimizar esses problemas, cada estado do Brasil possui leis para o desenvolvimento de sistemas preventivos contra incêndio.

No estado de Santa Catarina, por exemplo, a legislação prevê a instalação de equipamentos de segurança, bem como sinalizações específicas para saídas de emergência e cuidados especiais com materiais de fácil combustão.

Independente da legislação, os sistemas preventivos são essenciais para garantir a segurança dos seus clientes e colaboradores.

Nesse post vamos apresentar a importância do sistema preventivo contra incêndio e como esses equipamentos podem salvar vidas. Continue lendo e confira!

Principais causas de incêndios

Os incêndios ocorrem de muitas maneiras e suas consequências sempre são trágicas se não forem percebidos rapidamente e se não forem combatidos nos primeiros minutos.

De uma maneira geral, a maioria dos incêndios está relacionada a descuidos, basta procurarmos informações sobre o assunto na imprensa e vamos nos deparar com basicamente as mesmas situações.

Dentre as principais causas, podemos citar:

  • Problemas no sistema elétrico;
  • Velas, cigarros, fósforos ou chamas expostas;
  • Descargas elétricas e raios.

A falta de cuidado e, especialmente, a falta de manutenção em equipamentos estão diretamente envolvidas nessas ocorrências.

Mas, além das causas apresentadas, existe uma outra que é responsável por grande parte dos incêndios no Brasil e no mundo: o gás.

O essencial e perigoso gás

Não conseguimos viver sem o gás.

Ele facilita e torna tudo mais simples em nossas vidas, seja no fogão para preparar os alimentos, seja como aquecedor de água, ou ainda como combustível de veículos e equipamentos.

No entanto, o gás também é altamente inflamável e uma simples faísca é capaz de gerar uma explosão e causar um incêndio de grandes proporções.

Por isso, na instalação e manutenção ele merece todo o cuidado.

A importância do Sistema Preventivo Contra Incêndio - PPS

Fonte: Liquigás

Sistemas preventivos contra incêndio

Especificamente com respeito ao gás, os incêndios ocorrem em função da má instalação dos equipamentos e da falta de cuidado na averiguação de possíveis vazamentos.

Além disso, é fundamental que o sistema de gás sofra manutenção de forma sistemática, uma vez que componentes e peças se desgastam e podem comprometer a segurança do ambiente.

Condomínios residenciais e comerciais, shopping centers, escolas, hotéis e todo o ambiente onde exista grande concentração de pessoas precisa desenvolver um projeto de combate a incêndio, seguindo as exigências legais.

Essas leis, conhecidas como NSCI (Normas de Segurança contra Incêndio), preveem os seguintes cuidados:

  • Orientação para a localização dos componentes de segurança;
  • Características técnicas dos equipamentos de segurança;
  • Demanda de água para combate a incêndios;
  • Prevenção com extintores e sistemas hidráulicos;
  • Instalações de gás combustível;
  • Saídas e iluminação de emergência;
  • Proteção contra descargas atmosféricas;
  • Sistemas de alarme e detecção de incêndios;
  • Sinalização de abandono de local;
  • Escada pressurizada, quando for o caso;
  • Splinker, se for necessário.

O não cumprimento dessas normas e das legislações estaduais acarreta penalidades que vão desde advertências até a cassação do alvará de funcionamento, além de multas pelo descumprimento das obrigações.

A importância do Sistema Preventivo Contra Incêndio - PPS

Fonte: Indian Products News

Especialistas em sistema preventivo contra incêndio

Percebe-se que são muitas as exigências, mas que elas proporcionam uma qualidade ao ambiente e a proteção a seus usuários.

Por isso, o ideal é buscar por profissionais especializados no assunto e que podem ajudar o seu negócio a cumprir a legislação vigente e a tornar o seu ambiente seguro.

A PPS Manutenção em Equipamentos de Gás é uma empresa que pode colaborar efetivamente nesse projeto, uma vez que conhece em detalhes a área e vem proporcionando para seus clientes soluções preventivas contra incêndio.

Fontes:
Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Santa Catarina
UNESP – Universidade do Estado de São Paulo

A importância do Sistema Preventivo Contra Incêndio - PPS

Quando o assunto é gás, a melhor escolha é procurar a PPS Manutenção em Equipamentos de Gás.

Localizada na cidade de Blumenau e atendendo a toda região, a PPS Manutenção de Gás é especializada no assunto.

Com profissionais preparados e prontos para prestar um atendimento de qualidade, não são medidos esforços para que seus clientes estejam satisfeitos, tranquilos e seguros em seus ambientes.

São centenas de clientes que, muito mais do que atender as normas legais, oferecem seus espaços aos usuários com segurança e qualidade.

A PPS Manutenção de Gás oferece ao mercado os seguintes serviços:

  • Central de gás: revisão, instalação e manutenção;
  • Instalações industriais, comerciais, prediais e residenciais;
  • Assistência técnica;
  • Laudos e ART;
  • Montagem de medidores de gás;
  • Montagem de reguladores de gás;
  • Teste de estanqueidade;
  • Contrato de manutenção.

Conheça neste link todas as informações de contato da PPS Manutenção em Equipamentos de Gás, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Infrações administrativas das Normas de Segurança contra Incêndio e Pânico – Prevenfire

Infrações administrativas das Normas de Segurança contra Incêndio e Pânico - Prevenfire

Fonte: Lages Notícias

O Governo Estadual detém a responsabilidade sobre a segurança da população e cria leis para que normas contra incêndio e pânico sejam atendidas pela sociedade.

Essas leis foram desenvolvidas para evitar, ou pelo menos diminuir e minimizar, os efeitos decorrentes de incêndios e problemas de segurança das quais todos estão sujeitos.

Portanto a fiscalização é importante para que as construções sejam realizadas dentro de padrões seguros, e o não cumprimento dessas acarreta em penalidades previstas em Lei.

Nesse post vamos tratar das infrações administrativas das normas de segurança com foco em incêndio e pânico. Continue lendo e conheça a respeito!

A legislação em Santa Catarina

A Lei nº 16.157, de 7 de novembro de 2013, estabelece normas e requisitos mínimos para a prevenção e segurança contra incêndio e pânico.

Exceção feita a edificações residenciais unifamiliares, todas as demais devem atender aos requisitos mínimos estabelecidos pela Lei, que tem como objetivo resguardar a vida das pessoas e reduzir danos ao patrimônio e ao meio ambiente.

Essas leis devem ser cumpridas nas seguintes situações:

  • Regularização das edificações, estruturas e áreas de risco;
  • Construção;
  • Mudança da ocupação ou do uso;
  • Reforma e/ou alteração de área e de edificação;
  • Promoção de eventos.

No entanto, apesar das normas e requisitos, muitas pessoas não obedecem a legislação colocando em risco muitas vidas e, para isso, foram criadas sanções para as infrações cometidas.

Infrações administrativas das Normas de Segurança contra Incêndio e Pânico - Prevenfire

Fonte: Idealista

Exigências e normas de segurança

A legislação prevê a aplicação do PPCI – Projeto de Prevenção e Segurança contra Incêndio e Pânico e o PRE – Plano de Regularização de Edificação, que deve fazer parte de todas as edificações previstas na Lei nº 16.157.

O Corpo de Bombeiros é o órgão fiscalizador e que concede os atestados para:

  • Aprovação de projetos para alvará de construção, reforma ou ampliação de imóveis;
  • Vistoria para habite-se, para alvará de habitação de imóveis;
  • Vistoria para funcionamento, para a emissão de alvará.

Para obter a aprovação por parte do Corpo de Bombeiros, o imóvel deverá apresentar as seguintes características:

  • Restrições e barreiras no surgimento de incêndio;
  • Equipamentos para controle do incêndio;
  • Equipamentos de detecção de fogo e alarme;
  • Áreas de escape e realocação de pessoas e de bens do local de risco para uma área segura;
  • Áreas de acesso e facilidades para as operações de socorro;
  • Sistema de proteção estrutural em situações de incêndio;
  • Procedimentos de administração da segurança contra incêndio;
  • Sistema de extinção de incêndio;
  • Sistema de proteção, tranquilidade e salubridade pública em eventos de reunião de público;
  • Planta de emergência;
  • Informações de controle e registro do público;
  • Plano de emergência, contemplando a divulgação de procedimentos de emergência;
  • Informações de controle de acabamento e revestimento;
  • Sistema de controle de fumaça.

Fiscalização

No estado de Santa Catarina, os municípios, com o apoio do Corpo de Bombeiros, podem fiscalizar e aplicar sanções, quando às irregularidades e ao não cumprimento da legislação.

Qualquer construção, reforma ou ampliação necessita da autorização da Prefeitura Municipal bem como do CBMSC – Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina.

Tanto o CBMSC, quanto a fiscalização da Prefeitura, quando constatada alguma irregularidade, expedirá notificação ao proprietário ou responsável pela edificação.

Este documento identifica as exigências e fixa prazo para seu integral cumprimento, com vistas à regularização do imóvel.

A Lei também prevê o direito de defesa ao proprietário da edificação.

Infrações administrativas das Normas de Segurança contra Incêndio e Pânico - Prevenfire

Fonte: Guará Notícias

As sanções ao não cumprimento da lei

Ocorrendo a infração, e julgado a procedência, as sanções são aplicadas e podem causar sérios prejuízos ao seu negócio, são elas:

I – advertência;

II – multa;

III – embargo de obra;

IV – interdição parcial ou total;

V – cassação de atestado de vistoria para habite-se ou funcionamento.

As multas são aplicadas de acordo com a gravidade da infração e podem chegar a 10 mil reais, podendo dobrar o valor no caso de reincidência, segundo a legislação no estado de Santa Catarina.

Definitivamente não é uma boa ideia estar a margem da lei, pois, além de colocar em risco vidas, patrimônio e meio ambiente, as penalidades são pesadas e podem inviabilizar o seu negócio.

Por isso, vale a pena conhecer a Prevenfire, empresa especializada no desenvolvimento de projetos preventivos contra incêndio e pânico.

Fonte:
Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina

Infrações administrativas das Normas de Segurança contra Incêndio e Pânico - Prevenfire

Desde 1996, a Prevenfire atua na elaboração de projetos de engenharia, tendo como foco principal a elaboração e adequação dos edifícios na prevenção contra incêndio e pânico.

Com sede no município de São José, a Prevenfire atua em toda região metropolitana de Florianópolis oferecendo a seus clientes as melhores soluções que, além de atender as normas legais, apresentam a melhor relação custo x benefício.

Considerada referência na área de engenharia de incêndio e pânico, oferece a seus clientes outros serviços:

  • Projeto hidrossanitário;
  • Projeto elétrico;
  • Projeto arquitetônico;
  • Curso de brigadista;
  • Proteção de eventos com brigada;
  • Consultoria em sistema preventivos;
  • Laudos e vistorias prévias.

Comprometida com seus clientes, a Prevenfire não poupa esforços em apresentar as melhores soluções para que sua edificação esteja dentro das normas de segurança.

Conheça neste link todas as informações de contato da Prevenfire, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

A importância de projeto preventivo contra incêndio em uma edificação – Engefama

A importância de projeto preventivo contra incêndio em uma edificação - Engefama

Fonte: Pixabay

Desde março de 2017 entrou em vigor a Lei 13.425 que exige ações para prevenção e combate de incêndios cumpridas por parte dos estabelecimentos.

A Lei Kiss, como ficou conhecida, vem estabelecer regras gerais sobre medidas que devem ser providenciadas por parte dos proprietários para garantir a segurança dos frequentadores, em relação à incêndios.

E uma das obrigatoriedades que deve ser cumprida pela lei, é que todo estabelecimento tenha um projeto preventivo contra incêndio aprovado pelo órgão competente do estado em que o mesmo tenha suas atividades.

Neste post vamos apresentar a importância do projeto preventivo contra incêndio nas edificações e sua obrigatoriedade. Continue lendo!

As diretrizes da lei Kiss

A Lei 13.425, ou Lei Kiss como ficou conhecida, trouxe algumas mudanças e abaixo citamos algumas delas:

  • A fiscalização dos projetos não é mais competência única do Corpo de Bombeiros Local;
  • A lei orienta que deve haver um acordo entre a prefeitura de cada município e o Corpo de Bombeiros para se criar uma equipe fiscalizadora competente;
  • Será obrigatória a inclusão nos cursos superiores de engenharia e arquitetura a disciplina sobre projetos de combate a incêndio.

A partir da aprovação da lei, ficou estabelecido que o CONFEA (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia, CAU (Conselho de Arquitetura e Urbanismo) e o CREA (Conselho Regional de Arquitetura e Engenharia) são responsáveis por exigir dos proprietários, a apresentação de projetos técnicos executados por profissionais especializados.

E um desses projetos é o de prevenção e combate à incêndio.

A importância de projeto preventivo contra incêndio em uma edificação - Engefama

Fonte: Brasil Escola

A importância do projeto preventivo contra incêndio

Toda edificação que tenha uma alta circulação de pessoas precisa ter o projeto de combate e prevenção ao incêndio.

Esse projeto é criado e assinado por um profissional especializado para a atividade e deve obedecer às normas de segurança estabelecidas na lei.

Só um profissional capacitado saberá elaborar o projeto de forma segura e apoiado nas exigências tanto do Corpo de Bombeiros como da legislação em geral.

O objetivo de um projeto preventivo contra incêndio é fazer com que o local seja o mais seguro possível.

Dessa forma, o projeto visa prevenir de todas as formas possíveis os riscos de incêndio e acidentes.

Um projeto eficiente deve também conter:

  • Iluminação e sinalização de emergência;
  • Sistema de Extintores de Incêndio;
  • Sistemas de Alarme de Incêndio;
  • Pára-Raios – Sistema de Proteção Contra descargas Atmosféricas (SPCDA);
  • Cálculo de carga de fogo;
  • Rotas de fuga;
  • Risco de incêndio da edificação;
  • Redes de Hidrantes;
  • Centrais de Gás – (GLP e GNV).

Quem precisa fazer o projeto preventivo contra incêndio?

Se formos falar em termos de conscientização, poderíamos dizer que todos os estabelecimentos públicos deveriam ter o projeto preventivo contra incêndio, mas, enquanto isso não acontece, a lei determina que o mesmo é obrigatório para:

  • Prédios comerciais de serviços ou locais que recebem uma concentração de pessoas igual ou acima a 100 frequentadores, coberto ou descoberto.
  • Para locais em que circulam, predominantemente, idosos, portadores de deficiência ou crianças, mesmo em quantidade menor de 100;
  • Para edifícios que contenham em seu interior quantidade grande de inflamável;
  • Para os imóveis públicos ou locais ocupados por órgãos governamentais.

A importância de projeto preventivo contra incêndio em uma edificação - Engefama

Cuidados para a prevenção

Um projeto preventivo contra incêndio em qualquer edificação, certamente trará segurança para o proprietário e para o público frequentador.

Mas, além do projeto, é de extrema importância que os moradores do prédio, ou trabalhadores do local saibam identificar e usar as saídas de emergência, bem como os extintores, acionamento de alarmes e hidrantes.

A tecnologia e os equipamentos voltados à prevenção de incêndios estão à disposição no mercado, para dar maior e melhor segurança a todos.

Elaborar um projeto para tornar a sua edificação segura em relação a incêndio é um ato de responsabilidade.

Se seu condomínio ou sua empresa ainda não está atendendo as normas da nova lei, não deixe seus frequentadores correrem riscos.

Entre em contato e conheça a Engefama, empresa especializada que pode auxiliar e contribuir para a segurança do seu edifício.

Fontes:
Corpo de Bombeiros de Santa Catarina
Casa Civil da Presidência da República

A importância de projeto preventivo contra incêndio em uma edificação - Engefama

A Engefama Soluções em Engenharia situa-se na cidade de Timbó, no Vale do Itajaí em Santa Catarina, e mantém uma equipe técnica altamente qualificada para atuar nas seguintes serviços:

  • Arquitetônico;
  • Estrutural;
  • Hidrosanitário;
  • Acessibilidade;
  • Preventivo Contra Incêndio;
  • Elétrico;
  • Cabeamento Estruturado;
  • Topografia;
  • Retificação, Unificação e Desmembramento;
  • Sondagem SPT;
  • Protótipos 3D.

Conheça neste link todas as informações de contato da Engefama Soluções em Engenharia, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.

Matéria escrita por: Marlete Lopes

Cota 7: Projetos de prevenção contra incêndio

ebgesc

Imagem: Freepik

Como o próprio nome sugere os projetos de prevenção contra incêndio têm como principal objetivo evitar a ocorrência ou propagação de incêndios nas edificações. As diretrizes referentes à elaboração destes projetos são especificadas por uma série de normas, elaboradas em sua maioria pelo Corpo de Bombeiros, sendo que as mesmas variam de estado para estado.

O uso que será feito da edificação em si é fator determinante para a necessidade de elaboração destes projetos. Por exemplo: residências multifamiliares, em que várias unidades habitacionais ocupam o terreno (seja um prédio ou casas geminadas), têm necessidade de obter aprovação deste projeto, haja visto que o risco de incêndio é maior. Já residências unifamiliares, em que apenas uma unidade habitacional ocupa o terreno, tem a aprovação deste projeto dispensada.

Assim acontece também para edificações voltadas ao uso comercial e industrial. A atividade que será desempenhada na edificação reflete diretamente naquilo que se chama “risco de incêndio”, que pode ser leve, médio ou elevado. Por isso é importante que se saiba desde a concepção do projeto arquitetônico da edificação, que tipo de ocupação espera-se naquela determinada construção, para que o projeto de prevenção contra incêndio seja composto por todos os sistemas de segurança previstos a fim de evitar efetivamente a ocorrência de incêndios.

Os sistemas de segurança básicos para qualquer edificação com risco de incêndio do tipo leve são:

• Iluminação de emergência;
• Saídas de emergência;
• Sistema de proteção por extintores.

A partir daí, em função da ocupação e risco de incêndio, podem compor também o projeto:

• Sistema de detecção de fumaça e alarmes;
• Hidrantes;
• Sprinklers (chuveiros automáticos);
• Pára-raios, entre outros que se façam necessários.

Nosso papel tem início, portanto, na elaboração do projeto de prevenção, que quando pensado em conjunto com o projeto arquitetônico, garante melhor planejamento das rotas de fuga e saídas de emergência adequadas àquela edificação específica. Já no caso de edificações existentes, quando constatada a necessidade de adequação do projeto de prevenção contra incêndio, pode haver a necessidade de realização de melhorias na edificação, que garantam o atendimento às normas vigentes do Corpo de Bombeiros.

Edificações com grandes áreas construídas e/ou com risco de incêndio elevado devem atender exigências mais rígidas, se comparadas àquelas de pequeno porte e/ou com risco de incêndio leve. Por este motivo, a concepção do projeto analisa caso a caso, e leva em consideração as particularidades de cada edificação especificamente.
Após a elaboração dos projetos, os mesmos são submetidos à análise do Corpo de Bombeiros, e posteriormente, executados em obra, a fim de garantir a instalação dos sistemas de segurança exigidos para prevenção e combate a incêndios.

Ao final do processo, é realizada uma vistoria para fins de emissão do Habite-se daquela edificação, o que é uma certificação de que os sistemas foram executados em acordo com as especificações do projeto aprovado.

Importante: A dispensa de aprovação de projeto para residências unifamiliares não impede que estas edificações sejam isentas da ocorrência de incêndios. Esteja sempre atento às situações de risco que envolvam materiais inflamáveis e com as instalações de gás ou instalações elétricas de sua residência. Alguns cuidados básicos e manutenção de sistemas instalados pode impedir a ocorrência de acidentes maiores!

Conheça neste link todas as informações de contato da Cota 7, empresa parceira do Catálogo Empresarial CREA-SC.